PROGRAMAÇÃO NOVEMBRO/2018
EBP/SEÇÃO-RIO


NOTA DA DIRETORIA

Novembro chega e encontra a EBP-Rio de luto. Nosso querido Nicéas partiu. Mais abaixo, vocês podem ler a nota de pesar enviada por Ondina Machado, membro do Conselho da nossa Seção.

Mas a vida continua e nos dias 23, 24 e 25 de novembro nos reuniremos no XXII Encontro Brasileiro do Campo Freudiano. Nas vésperas do Encontro, as redes do Campo Freudiano no Brasil farão seus eventos: Cereda, Cien e TyA. Confiram a programação: http://encontrobrasileiro2018.com.br/eventos_satelites/

Ainda neste mês, realizaremos a última sessão desse ano do seminário clínico da EBP-Rio, no dia 12 de novembro, pois em dezembro teremos outras atividades programadas e só retomaremos o seminário clínico em março de 2019.

Escrevo essa nota às vésperas da eleição mais dramática desse país. Seja qual for o resultado, outro tempo começa. Sigamos sustentando a função da fala, e a subversão do desejo.

Angela C. Bernardes



NOTA DE PESAR

Nicéas faleceu. Triste notícia para todos da comunidade analítica, em especial para seus colegas da Escola Brasileira de Psicanálise. De alguma forma, todos nós fomos tocados, em nossa formação, pela transmissão de Nicéas. Seus analisandos tiveram o privilégio da sua delicadeza no enfrentamento do real que não queria ceder. Seus supervisandos tiveram a palavra de orientação e apoio que a muitos ajudou no seu autorizar-se. Seus leitores, grandes privilegiados por um texto limpo, fielmente alicerçado em Freud e dedicado à Orientação Lacaniana, que nos ajudava a tirar consequências do último Lacan.

Todos nós fomos tocados por Nicéas.

A ele, minha homenagem e eterna gratidão.

Ondina Machado



AGENDA

Seminário de Orientação Lacaniana
Dia 05 de novembro, às 20h, na Rua Capistrano de Abreu, 14/16
Apresentação: Rodrigo Lyra
Coordenação: Heloísa Caldas

Seminário Clínico
Dia 12 de novembro, às 20h, na Rua Capistrano de Abreu, 14/16
Apresentação: Ana Lúcia Garcia
Comentários: Maria do Rosário Collier do Rêgo Barros
Coordenação: Angela Bernardes e Cristina Duba

Curso do Observatório políticas do autismo (via Webex)
Dia 17 de novembro, às 20h, na Rua Capistrano de Abreu, 14/16
“Autismo e psicose, alienação e separação”: Elisa Alvarenga, Ana Maria Vasconcelos, Jeaninne Narciso, Maria de Fátima Peret
“O autismo e o Último ensino de Lacan”: Gleuza Salomon

VI Manhã de trabalhos CIEN – Brasil
Dia 23 de novembro, das 8h às 13h – Windsor Barra
(inscrições antecipadas)

Terceiro Encontro TyA Brasil
Dia 23 de novembro, das 8h às 13h – Windsor Barra
(inscrições antecipadas)

XXII ENCONTRO BRASILEIRO DO CAMPO FREUDIANO:
A queda do falocentrismo consequências para a psicanálise
De 23 a 25 de novembro, no Windsor Barra
Conferencista convidado: Éric Laurent
(inscrições antecipadas)
http://encontrobrasileiro2018.com.br/



VÍdeo

Conversa com Clara Holguín - 01.10.18
https://goo.gl/dUmwJ4

Seminário de Orientação Lacaniana - 08.10.18
https://youtu.be/bnIq15LdROk

Conversas sobre o passe - 22.10.18
https://youtu.be/OuqoXseHZ4s



Aconteceu na SEÇÃO Rio

29/09 - Jornada de Cartéis
Comentário de Monique Vincent
Nossa Jornada de Cartéis de 2018 contou com a presença de Ram Mandil (AME da EBP), nosso convidado, que nos falou sobre os fundamentos dos cartéis e também foi o comentador das três mesas realizadas.
Inicialmente, Ram Mandil traz uma pergunta fundamental: qual o efeito das mutações sociais sobre os cartéis? Lacan coloca o cartel como órgão de base da escola. Tomado desta forma, ”o acento recai mais sobre a dimensão coletiva, transindividual, do dispositivo, do que sobre a participação individual de seus membros”. Fundado sobre a teoria dos pequenos grupos, o cartel tem um número limitado de participantes, 3 +1, como articulação mínima que venha a gerar um furo e garantir o turbilhão. A partir desse furo de turbilhão, assegura-se que cada um ali esteja em nome próprio, com a singularidade de seu sintoma, numa aposta de que esta singularidade interessa aos demais participantes. O número pequeno é uma busca de romper com o ilimitado e anônimo do espírito religioso. Ressaltou também a importância de que o cartel funcione como dispositivo de conversação, contrapondo-se ao empuxo do um, ao individualismo de massas tão presente no mundo contemporâneo. O caráter democrático que se dá na tensão entre a comunidade e o lugar do Um coloca a dimensão política do cartel. Esse sendo, como exposto acima, seu diferencial e tendo na presença do mais um o elemento necessário para que não se caia “no individualismo completo” (Lacan, J. ”Religion and the Real”, in: The Lacanian Review, n.1). [Leia+]

01/10 Seminário com Clara Holguín
Notícias da conversa: Thereza De Felice
No dia 1/10, contamos na Seção Rio com a presença de Clara Holguín, presidente da NEL, que intitulou sua fala como “A mãe, figura que não se adequa aos paraísos fálicos”. A ideia era articular os temas da Jornada da NEL, de 2018, “Qué madres hoy?”, e do XXII Encontro Brasileiro do Campo Freudiano, “A queda do falocentrismo: consequências para a psicanálise”. A discussão partiu das seguintes perguntas propostas por Clara Holguín: Como cada um se pensa nesta época? Como lemos as questões da atualidade e fazemos laço entre as Escolas? [Leia+]

8/10/18 Seminário de Orientação Lacaniana
Comentários de Maria Corrêa de Oliveira

O Seminário de Orientação Lacaniana de 08 de outubro contou com a rica apresentação feita por Marcia Zucchi do capítulo XXIII do Banquete dos Analistas, acompanhada da interlocução pontual de Rodrigo Lyra. Marcia destacou “o estranho desejo de saber” presente na psicanálise e a articulação apresentada por Miller relativa à perspectiva do passe, levando-o a considerar duas abordagens: o passe do sujeito e o passe da psicanálise. [Leia+]




Andamento do ICP-RJ


Conversação dos Laboratórios do Cien Rio

No último 02 de Outubro a Conversação dos Laboratórios do Cien-Rio foi animada por questões trazidas pelo laboratório "A Criança entre a mulher e a mãe". Após assistirmos a um pequeno vídeo no qual uma mãe dá testemunho dos impasses experimentados por ela na inclusão do filho em uma escola, o Laboratório abre a questão da ”inclusão escolar em tempos de segregação”. Quais os efeitos da prescrição legal de inclusão de crianças portadoras de necessidades especiais em uma classe regular? Para os pais e para a escola? Contamos com o depoimento de uma professora convidada, que contribuiu trazendo as dificuldades diante da exigência de “dar conta”. Além de não se sentirem preparadas, não há espaço para serem ouvidas e acolhidas nas escolas. A diretora de uma escola traz um ponto importante, “antes da lei, era o desejo de acolher aquela criança o que nos orientava”. Destacou-se também o caráter algumas vezes segregativo da inclusão através de “mediadoras”, engessando tanto as relações com os professores quanto com os colegas. Como fazer com que uma lei universal abra espaço para a particularidade de cada criança? Como sustentar o professor e os pais nos fracassos e acertos dessas experiências?

Ana Beatriz Bernat, Anna Luiza Almeida e Vânia Gomes - Coordenação do Cien-Rio



Encontro com a clínica do autismo

No mês de novembro, contaremos com a apresentação de um caso clínico que nos ajudará a seguir nosso trabalho de investigação a partir dos três eixos propostos pelo Observatório do Autismo (intervenção precoce, inclusão na educação e pais e associações).

O encontro acontecerá na quarta-feira, dia 28 de novembro, às 21 horas, na sede da Seção Rio (Rua Capistrano de Abreu 14/16, Botafogo)

Esperamos por vocês.

Coordenação:
Maria do Rosário Collier do Rêgo Barros
Paula Borsoi






COMUNICADO DE ABERTURA DAS INSCRIÇÕES PARA A SELEÇÃO DA TURMA DE 2019 DO CURSO DE TEXTOS FUNDAMENTAIS DO INSTITUTO DE CLÍNICA PSICANALÍTICA DO RIO DE JANEIRO (ICP-RJ)

O Instituto de Clínica Psicanalítica do Rio de Janeiro tem o prazer de comunicar que em 2019 abrirá nova turma do Curso de textos fundamentais do ICP-RJ.
Sua duração é de três anos, e tem o objetivo de propiciar o acesso a conceitos que ordenam a experiência analítica, a partir de uma leitura de textos de Lacan e de Freud, no contexto da orientação lacaniana estabelecida por J.-A Miller.
As inscrições para o processo de seleção devem ser realizadas na secretaria do ICP-RJ, com a secretária Rosane, devendo o candidato, nessa ocasião, anexar uma carta de apresentação e seu Curriculum Vitae, em 2 (duas) vias, no qual devem constar os telefones e o e-mail. O candidato será entrevistado por 2 (dois) membros do Conselho do ICP-RJ.
O período de inscrição para a seleção é de 08 de outubro a 01 de novembro de 2018.
O resultado do processo será comunicado até 10 de dezembro de 2018.
A data para inscrição dos selecionados na secretaria do ICP vai do dia 10 a 18 de dezembro de 2018.

Conselho Deliberativo do ICP-RJ





AGENDA


ENCONTRO MENSAL DO CIEN-RIO
06 de novembro – terça-feira, às 20h30
Coordenação: Ana Beatriz Rocha Bernat - Coordenação CIEN-Rio
Anna Luiza de Almeida e Silva e Vânia Gomes - Colaboração na coord. CIEN-Rio

LANÇAMENTO DO LIVRO:
Segregação em tempos de guerra - Psicanálise na cidade
Dia 07 de novembro de 2018, quarta feira, às 19h
Na Blooks Livraria - Praia de Botafogo, 316

ENCONTRO COM A CLÍNICA DO AUTISMO
Dia 28 de novembro – quarta-feira, às 21h
Coordenação: Maria do Rosário Collier do Rêgo Barros e Paula Borsoi











Assista aos vídeos dos relatores dos grupos de trabalho de cada eixo do Terceiro Encontro TyA:

César Skaf da delegação do Paraná
https://youtu.be/Qp5MbyNYWa4

Cassandra Dias da delegação Paraíba
https://youtu.be/Fa8CGxHBXV4

Maria Wilma Faria responsável pelo TyA Brasil, da Seção Minas
https://youtu.be/X1q6Gd1_HMA

Maria Célia R. Kato da seção São Paulo, uma das coordenadoras do Núcleo de Toxicomania do Clin-a
https://youtu.be/VN4lWgs9h6Y






http://www.icprj.com.br

https://icprj.wordpress.com/

https://www.facebook.com/institutodeclinicapsicanaliticarj



CRÉDITOS

Comissão de publicação do ICP-RJ: Cristina Duba (coordenação), Cecília Moraes, Leonardo Miranda, Luiza Sarrat Rangel, Sandra Landim e Tatiana Grenha.